Pular para o conteúdo

Como ter o comportamento empreendedor e suas características

O comportamento empreendedor reúne aspectos sociais, emocionais e psicológicos, além de decisões e atitudes que tornam uma pessoa mais perseverante, proativa e inovadora. Essas qualidades quando são bem desenvolvidas e estimuladas, contribuem para o êxito no mundo dos negócios.

As realidades de cada um, seus caminhos e os resultados variam, mas existem características que podemos perceber na maioria das pessoas de sucesso. Antes das ideias, do marketing e das finanças, é imprescindível desenvolver sua mente empreendedora!

Cada negócio tem suas particularidades, assim como seus gestores e fundadores. Contudo, para ter sucesso em qualquer setor ou nicho de mercado, é importante ter coragem, persistência e, principalmente, enxergar muito além.

Apresentaremos nesse artigo, as qualidades que fazem a diferença na trajetória da sua empresa e até na sua vida pessoal, destacando as principais características do comportamento empreendedor.

Afinal, o que significa empreender?

Toda essa repercussão em torno do conceito do empreendedorismo nos faz pensar se tratar de algo muito complexo e distinto. Porém, não é.

Conforme o dicionário Oxford, “empreender nada mais é, do que pôr algo em execução, colocar a mão na massa”, em outras palavras. Existem outras definições como “decidir realizar uma tarefa difícil e trabalhosa” e “tentar”.

Embora seja destaque no mundo dos negócios, os empreendedores estão em toda parte, dentro e fora das organizações; é essencial para entender o comportamento de um empreendedor.

Se empreender é tomar parte de algo, é certo que nossas vidas são marcadas pelos mais variados tipos de empreendimento, desde a trajetória de nossas carreiras, da escola ao mercado, às realizações da nossa vida pessoal, como os relacionamentos, a constituição de família e até o nosso desenvolvimento pessoal.

A vida é um grande empreendimento, por isso, que o comportamento de um empreendedor de sucesso dificilmente se restringe às paredes de sua empresa, porque suas atitudes, sua visão e sua liderança repercutem em todas as áreas e refletem resultados na vida de muitas pessoas ao seu redor.

A questão é que nem todos adotam uma postura empreendedora, e, entre aqueles que seguem, alguns passam da conta. O perfeito empreendedor está entre o extremamente cauteloso e o extremamente ansioso. O primeiro é aquele que está tão apegado à sua segurança, que deixa as oportunidades passarem. O segundo, por sua vez, é aquele que tem tanta pressa, que se arrisca sem pensar.

Essa imagem é indispensável para compreender que adotar um comportamento empreendedor está longe de se arriscar e investir em projetos a qualquer custo. É sair do lugar, porém, sair com consciência e, acima de tudo, planejamento e organização.

Quem é o empreendedor nos negócios?

Atualmente no mercado, existem inúmeros desafios enfrentados, cada um deles, empreendimentos por si só. O curioso é que o perfil do negócio diz muito sobre o perfil do empreendedor. Então, podemos ressaltar três tipos, aqueles que mais se destacam atualmente.

Empreendedor tradicional

É aquele que atua em mercados mais sólidos, consistindo nos pilares da sociedade, como donos de padarias, de restaurantes, oficinas, pequenos escritórios e, principalmente, lojistas, seja no comércio eletrônico, seja no e-commerce.

Enquadram-se também entre os empreendimentos tradicionais, as grandes empresas, como hipermercados, multinacionais e redes de franquia, tendo em vista que, embora sejam negócios de grande porte, eles também atuam em setores consolidados que contribuem para as bases do mundo atualmente.

Este tipo de perfil, entretanto, tem um olhar sensível para possibilidades, que estão disponíveis agora e está comprometido em manter disponíveis produtos e serviços, que já fazem parte da realidade e do imaginário das pessoas.

Empreendedor de startup

Esse empreendedor, também conhecido como o empreendedor “inquieto” ou “inconformado,” é o visionário que enxerga necessidades futuras ou se aventura na criação de novos mercados, produtos e serviços.

Enfrentam cenários muito mais arriscados e instáveis que os empreendedores tradicionais, exigindo mudanças rápidas e, muitas vezes, profundas na estrutura do negócio. Esse perfil também enfrenta o desafio de vender ideias e conquistar a confiança de investidores, considerando que muitas empresas dependem de capital externo e podem demorar muitos anos para obter lucro.

Este é o cenário em que o comportamento empreendedor é mais solicitado, uma vez que o controle emocional, a resiliência e a perseverança são testadas ao máximo. Mercados onde este perfil atua são também notáveis pelo protagonismo de jovens, muitas vezes iniciando seus negócios no início da juventude.

Intraempreendedor

É a pessoa que adota características do comportamento empreendedor em uma organização, o colaborador engajado com os propósitos e potenciais da empresa que busca por melhorias em seus produtos, no seu atendimento e até na gestão interna do negócio.

Numa companhia, o profissional tem à disposição recursos e pessoas para colocar suas ideias em prática, gerando ganhos para todos. Contudo, é importante que o ambiente corporativo dê condições e liberdade para que o intraempreendedorismo se apresente.

As características do comportamento empreendedor

Quais são as características do comportamento empreendedor, independentemente do contexto?

Conforme os estudos do psicólogo norte-americano David McClelland sobre o empreendedorismo, dez características podem ser observadas na maioria das histórias de fundadores e gestores bem sucedidos.

Listamos cada uma delas a seguir.

1) Estabelecimento de metas: o empreendedor estabelece metas de curto e longo prazo. Agrega a elas, indicadores de resultados e objetivos. Ele tem uma grande visão sobre onde quer chegar e é confiante para enfrentar desafios.

2) Planejamento e monitoramento sistemático: o empreendedor de visão não se baseia apenas em instintos, nem age por impulsividade. Ele adota meios para medir seus passos, avaliar suas ações e se antecipar a eventuais dificuldades na execução de suas metas.

É importante investir em métodos, ferramentas e estratégias para realizar um acompanhamento correto das ações realizadas.

3) Busca por oportunidades e iniciativa: importante característica do comportamento empreendedor é a visão aguçada para possibilidades de melhoria ou investimento, assim como dos meios que podem ser adotados para colocar as ideias em prática.

Como a própria definição do termo ressalta, o empreendedor não é aquele que simplesmente vê soluções, mas o que coloca em prática. A iniciativa, entretanto, é um traço fundamental desses indivíduos, essencial para que os projetos realmente saiam do papel.

4) Planejam e monitoram riscos: os empreendedores são corajosos e arriscam, porém, estão sempre analisando os riscos para poderem se precaver. Além disso, se preocupam em planejar estrategicamente suas ações para obter os melhores resultados possíveis.

5) Busca por informações: o empreendedor eficaz também está ciente que não sabe de tudo e que necessita de orientações para tomar decisões corretas. Este comportamento também contradiz à falsa noção de que empreender é sempre um ato de alto risco e impulsividade.

Para cada nova ação, é fundamental levantar o máximo de informações possíveis, comparando visões de estratégias e especialistas. Isso nos permite tomar decisões de uma maneira mais tranquila e evita que nos deixemos levar por nossos próprios vícios e preconceitos.

6) É exigente e eficiente: quem se comporta como empreendedor está sempre preocupado com a qualidade de entrega do seu trabalho e prazo. Procura sempre realizar suas demandas com esmero, fazendo sempre o melhor que pode.

7) Persistência: o lojista sabe muito bem que empreender é difícil, sobretudo no contexto dos pequenos negócios. Altas e baixas são frequentes e o empreendedor precisa saber comandar as oscilações, que nem sempre se devem apenas à sazonalidade.

8) Tem comprometimento: uma pessoa que se comporta como empreendedor é comprometida e responsável. Como tem um objetivo, sabe que precisa estar sempre focada, colabora com a equipe e é cuidadosa com os clientes. Outra característica é a de assumir responsabilidades sobre os resultados positivos e também os negativos.

9) Persuasão e Networking: aqui, entra o famoso networking, que consiste em fazer e manter contatos estratégicos. O sucesso de qualquer empreendedor está fortemente ligado à sua rede de influência, pessoas com quem pode trocar colaboração e encurtar caminhos para novas realizações e oportunidades.

Para isso dar certo, porém, é necessário ter boa desenvoltura. Saber comunicar-se, escolher as palavras certas, ser persuasivo; afinal, boa parte do seu trabalho é convencer pessoas, dos seus parceiros comerciais aos seus clientes.

10) Independência e autoconfiança: aqui, temos um comportamento empreendedor mais intimista. Aquele que descreve a forma como ele pensa e se posiciona no mundo. Empreendedores são indivíduos que gostam de fazer as coisas por conta própria, não gostam de depender dos outros para alcançar as suas realizações.

Eles entendem que, independentemente das circunstâncias, os resultados necessitam da sua atitude. Autoconfiantes, não se vitimizam pelas dificuldades e assumem uma postura de plena responsabilidade sobre o seu desempenho.

O que mudou em relação ao comportamento do empreendedor atual?
As características dos empreendedores bem sucedidos, apontadas por estudiosos do início do século XX, continuam sendo válidas até hoje. Contudo, é necessário considerar que o cenário econômico mudou muito nos últimos anos, exigindo novas competências dos gestores.

Algumas qualidades adicionais exigidas dos empreendedores

-Cautela na linguagem e nos posicionamentos
Os debates nas redes sociais estão ganhando proporções maiores do que os gerados pela grande mídia. É uma enorme revolução onde pessoas comuns alcançam mais pessoas do que os holofotes da TV e do rádio.

Entretanto, em períodos de forte polarização, as mesmas plataformas que conferem liberdade e poder ao público se transformam em tribunais rígidos, capazes de destruir a reputação de indivíduos e marcas, muitas vezes injustiçadas.

Diante disso, as empresas e seus representantes devem ter cautela em sua linguagem, suas políticas e seus posicionamentos, de modo a minimizar conflitos e não prejudicar suas ações de relacionamento.

Qual a diferença entre as habilidades técnicas e habilidades empreendedoras?

É necessário destacar que, embora o comportamento empreendedor esteja presente na maioria dos líderes de negócio bem sucedidos em todo o mundo, isso não significa que as habilidades técnicas são dispensáveis.

O empreendedor também precisa se qualificar e estudar, ser um especialista no que faz ou vende, mesmo que não atue diretamente na comercialização.

Temos, então, dois tipos de habilidades, igualmente importantes, mas que merecem ser bem esclarecidas.

Habilidades técnicas

Noções de finanças, contabilidade, negociação, administração e planejamento são habilidades técnicas frequentemente vinculadas às atividades desenvolvidas por um gestor, seja ele dono da empresa, seja ele um administrador contratado.

Entretanto, muitos empreendedores têm competência nos produtos e serviços oferecidos em sua empresa, ilustrando sua trajetória no negócio. Especialmente no pequeno empreendimento, é bem comum que o gestor também atue como colaborador, trabalhando na linha de frente da empresa, junto à sua equipe.

Todos esses conhecimentos e aptidões são considerados habilidades técnicas, ou seja, que estão voltadas para a execução de um serviço ou para a produção de um produto de maneira direta.

Habilidades empreendedoras

As habilidades empreendedoras se encaixam nos chamados “soft skills”, que nada mais são do que competências comportamentais. Por serem subjetivas, elas são mais difíceis de avaliar e aplicar, mas estão diretamente ligadas à melhoria do desempenho profissional.

As habilidades empreendedoras tratam da postura e da maneira como gestores e outros líderes lidam consigo, com as pessoas, com as organizações e com a sociedade. A maioria delas se relaciona com fatores emocionais, psicológicos e sociais, tendo em vista que todos eles podem ser analisados e melhorados com práticas e ensinamentos.

Estas habilidades também tornam a dinâmica da gestão mais humana e realista, uma vez que considera a forte influência das relações e percepções de cada indivíduo, no progresso de um empreendimento.

Concluindo:
se todas as características são trabalhadas apenas como uma espécie de “etiqueta corporativa”, o seu poder de influência e gerenciamento é extremamente limitado. O verdadeiro comportamento empreendedor é algo que deve estar cristalizado no próprio ser, refletindo suas falas, atitudes e decisões diárias.