Pular para o conteúdo

Como fazer o planejamento estratégico da sua loja online

planejamento estrategico

O que é o planejamento estratégico?
O planejamento estratégico funciona como um guia para auxiliar a sua empresa a caminhar em direção ao sucesso. É essencial para desenvolver uma visão de médio e longo prazo e, assim, conquistar os objetivos do negócio.

Apesar de parecer mais uma daquelas tarefas sem aplicação prática, não se engane, planejar é o que permite que a empresa se organize, torne os processos mais eficientes e, assim, obtenha diferenciais competitivos.

Nos pequenos negócios é bem comum o dono fazer um pouco de tudo, isso ocupa toda a atenção do empreendedor, que fica sem tempo para pensar estrategicamente sobre os rumos da sua empresa.

Entretanto, se o desejo é ver seu negócio prosperar e conquistar cada vez mais o mercado, ter um planejamento estratégico é fundamental. Caso contrário, o risco de não sair do lugar é alto.

Mas será que você está usando essa ferramenta tão importante da maneira certa? Será que não é o momento de desenvolver um planejamento para a sua empresa, mesmo ela ainda sendo pequena?

Entenda melhor o que é planejamento estratégico e como você pode envolver todos os departamentos para conquistar metas mais ambiciosas, continuando a leitura.

O planejamento estratégico permite definir o melhor caminho a ser seguido por uma organização, desde a definição das metas até às tomadas de decisão e distribuição de seus recursos no período que seguirá. Isso faz as ações serem mais efetivas e atingirem o sucesso empresarial.

Esse é um trabalho que pode ser desenvolvido por qualquer negócio, independentemente de seu porte ou segmento de atuação. Afinal, assim como todas as empresas precisam crescer e atingir objetivos, também é necessário se organizar e elaborar um plano de ação que seja coerente para tanto.

Vale dizer, porém, que o planejamento estratégico precisa ser um processo que envolva todas as equipes e níveis da empresa.

Ou seja, ele deve unir o comprometimento e dedicação do líder com o engajamento dos times para que, assim, todos trabalhem em harmonia e focados nos mesmos propósitos.

A importancia do planejamento para o seu negócio

Sem planejamento, fica bem difícil conquistar os objetivos pretendidos; sem essa organização prévia, a empresa fica perdida e não sabe onde deseja chegar e muito menos como chegar. E, na maioria das vezes, isso acontece porque a empresa não compreende a sua cultura ou seus diferenciais.

Mesmo que lá no começo vocês tenham definido a missão e valores, é bem comum que eles se percam com o passar dos anos; dessa forma, enxergar todo o potencial do negócio e ver além do óbvio para sair na frente no mercado se torna uma tarefa bastante complexa e trabalhosa.

O planejamento estratégico também auxilia a empresa a descobrir os caminhos mais adequados para conquistar os objetivos.

Então, imagine que, sem ter conhecimento dos diferenciais, fraquezas e do mercado onde o negócio está inserido, elencar as melhores estratégias se torna um jogo de achismos e intuição, sendo que esse tipo de abordagem, dificilmente será bem-sucedida.

Além disso, essa pode ser uma excelente maneira de engajar as equipes e fazer com que todos trabalhem focados em um objetivo comum.

Quando tudo está bem definido para os colaboradores, quais os valores da empresa e as metas a serem alcançadas, é mais fácil promover a colaboração e criar um ambiente em que todos se sintam responsáveis e igualmente recompensados pelo sucesso.

Por isso, entenda que o planejamento estratégico é muito além do papel; apesar de ser um documento, ele que fará com que a empresa caminhe para o crescimento sem perder a sua identidade ao longo do trajeto.

Como fazer um planejamento estratégico

O planejamento estratégico é uma ferramenta de gestão que auxilia o empreendedor a mapear o caminho a ser seguido para atingir os objetivos do negócio.

Podemos dizer que é uma espécie de roteiro. Ele indica onde a empresa está, onde quer chegar e quais são as ações necessárias para cumprir essa jornada.

Além disso, ajuda o dono do negócio a fazer escolhas assertivas, antecipar problemas e monitorar os resultados da empresa, sendo fundamental em situações de crises.

Com esse planejamento, o empreendedor evita a gestão por intuição e enxerga mais claramente os rumos do seu negócio.

Dinâmico, ele jamais deve ser engessado, mas revisado e ajustado quando necessário.

Para que serve o planejamento estratégico?

É impossível não pensar no empreendedorismo sem ter o planejamento estratégico como ponto de partida. Ele é essencial desde a fase embrionária da empresa, quando o plano de negócio começa a ganhar forma.
E mesmo depois que a empresa abre suas portas, essa necessidade não desaparece; pelo contrário, se tornará ainda mais essencial no dia a dia do negócio, afinal, um planejamento estratégico serve para:

Como você viu, o planejamento estratégico dá um norte para resolver os problemas e atingir as metas da empresa. Mas, para isso, elas precisam estar adequadas com a sua realidade.

Até mesmo para fechá-la é necessário estar preparado e com as próximas ações claramente definidas.
Logo, é impossível pensar em empreendedorismo sem ter o planejamento estratégico como ponto de partida para tomar decisões e colocá-las em prática.

Os motivos importantes para o planejamento estratégico

Diagnóstico

Também conhecido como análise SWOT, o primeiro passo envolve olhar para a empresa e o mercado e entender o momento atual. Ou seja, esse é o momento de elencar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Para isso, é preciso reunir a equipe de trabalho e levantar as forças e fraquezas internas do negócio.

Analise os diferenciais e os pontos que precisam ser melhorados e, depois, faça o mesmo com o ambiente externo. Ou seja, identifique as oportunidades e ameaças que impactam a organização, tais como a sazonalidade ou a situação econômica do país.

O diagnóstico é importante para ser possível entender o contexto onde a empresa está inserida e, assim, as ações mais adequadas para alcançar os objetivos, sejam identificadas.

Trace seus objetivos

Nem todo empreendedor consegue dizer ao certo quais são as metas da empresa a curto, médio e longo prazo. Nesse contexto, o planejamento estratégico auxilia na construção de metas reais, considerando a expectativa e a realidade do negócio.

Agora que você mapeou a conjuntura da empresa e pôs seus pontos-chave na mesa, é hora de definir os objetivos. Para facilitar, o ideal é dividi-los em metas realistas.

Com as informações coletadas no mercado e a análise SWOT, você tem uma ideia do que fazer daqui a 5ou mesmo 20 anos, mas também necessita decidir o que fazer nos próximos meses.

Afinal, é preciso levar em conta o médio e curto prazo para realizar objetivos que exigem mais tempo. Uma coisa é sua empresa projetar um aumento no ticket médio de 15% em 6 meses, outra é ser a maior multinacional do setor em um ano. Compreendeu a diferença?

Identidade organizacional

Para que o seu negócio seja único, ele precisa de uma missão, visão e valores que sejam reconhecidos tanto pelo público interno quanto pelo externo.

É exatamente por isso que a filosofia da empresa é tão importante e deve ser levada a sério. Até porque é ela que orientará a tomada de decisões e as diretrizes estratégicas.

A missão é a razão pela qual a sua empresa existe, enquanto a visão é o que vocês aspiram se tornar ou onde desejam chegar. Já os valores representam os princípios que guiam a cultura da empresa e, inclusive, dos colaboradores.

Assim, a identidade organizacional funciona como um importante guia para contratar novas pessoas, fechar contratos com fornecedores e, inclusive, lançar produtos e serviços no mercado. Por isso, é fundamental reforçá-la a todo momento e garantir com que ela permeie todo o negócio.

Para quem já tem essa parte do planejamento estratégico pronta, vale a pena entender quando ela foi desenvolvida para ver a necessidade de fazer uma revisão.

Uma empresa pode mudar muito ao longo dos anos e pode acontecer que a missão, visão e valores sejam modificados ao longo do tempo por não se adequarem mais à imagem transmitida desejada.

Crie estratégias e ações

É normal, para quem não está habituado a elaborar um plano de negócios, confundir ação com estratégia. Enquanto a primeira diz respeito à realização de metas, a segunda define como devem ser alcançadas. Veja alguns exemplos:

Objetivo/meta: Aumentar o market share em 10% nos próximos 3 meses;

Estratégia: lançar dois novos produtos que a concorrência não tem;

Ações: contratar novos profissionais para desenvolvimento de produtos, realizar pesquisas de mercado ou investir em marketing digital.

A essa altura, vocês já sabem onde a empresa está, quem ela é e onde precisa chegar. Então, está na hora de partir para a ação!

O que é plano de ação?

O plano de ação é o que viabiliza conquistar as metas e objetivos definidos, com base em um cronograma e na definição de responsabilidades.

Isso significa que é preciso definir quais atitudes serão tomadas e delegar quem executa cada uma delas. Ter essas informações documentadas pode ser o diferencial entre uma estratégia bem-sucedida e uma problemática, por isso, fique bem atento a essa etapa.

Como nem tudo pode ser prioridade, é fundamental elencar as ações para que elas aconteçam por ordem de importância. Com isso, o que for mais simples ou urgente deve ser realizado primeiro.

Para ajudá-lo, pense em quais ações realmente farão a diferença para conquistar os objetivos e dê preferência a elas.

Metas e indicadores de sucesso

Agora é hora de colocar no papel onde o negócio precisa chegar e quais os dados que indicarão o sucesso dessa jornada.

As metas a serem conquistadas precisam envolver toda a organização. Por isso, pode ser preciso criar uma meta geral e, depois, transformá-la em metas de vendas, marketing, recursos humanos e assim por diante.

Lembre-se de que o envolvimento de todos é fundamental no planejamento estratégico, por isso, cada departamento deve ter as suas metas.

Um ponto importante aqui é que os objetivos devem ser desafiadores, no entanto, realistas. Então, nada de sonhar muito alto e colocar números impossíveis de serem alcançados no mercado ou da realidade da empresa.

Os indicadores permitirão acompanhar o desempenho das metas, dessa forma, se uma delas é conquistar um faturamento pré-definido, o próprio faturamento mensal será um dos indicadores a ser acompanhado ao longo dos meses.

Por fim, faça com que todos os colaboradores tenham ciência de todas essas metas e indicadores. Dessa forma, cada um saberá a sua importância e o seu papel para que a empresa chegue ao lugar desejado.

Prepare um cronograma

Se você já possui metas, estratégias e ações, precisa organizar tudo isso em um cronograma e deixar claro qual é a função de cada colaborador.
Esse passo é importante para garantir que o plano seja colocado em prática da forma como foi pensado, do contrário, ele arrisca terminar numa gaveta.
O cronograma deve conter as metas planejadas e os responsáveis, prazos de execução, indicadores de desempenho, recursos necessários e outras informações relevantes.

Se você puder criar o documento com apelo visual, como em um quadro de planejamento que possa ser visualizado por todos (físico ou digital), melhor ainda.

Envolva a equipe

O planejamento estratégico é um trabalho coletivo que se beneficia de vários pontos de vista sobre a empresa. Por isso, é fundamental garantir a participação da equipe e não deixar que se torne uma tarefa solitária do gestor.

Coloque o plano em prática

Agora é hora de colocar em prática o planejamento estratégico e acompanhar de perto os resultados. Nesse sentido, os indicadores serão sua principal referência para monitorar o progresso da empresa, mantendo o controle sobre cada ação.
A tecnologia é uma aliada importante para obter todos os dados necessários e analisar as métricas. Por exemplo, para monitorar o financeiro, é preciso acompanhar as movimentações e o fluxo de caixa de perto.

Avalie e revise o plano continuamente

Por fim, como mencionamos, o planejamento estratégico é uma ferramenta dinâmica, que deve ser adaptada de acordo com as mudanças no caminho.
Ter um plano é ter um rumo, mas você precisa reavaliar continuamente as metas e, se necessário, fazer alguns ajustes conforme as circunstâncias.

Do contrário, se você seguir o plano original à risca desconsiderando o mercado, comete erros e não aproveitará oportunidades ou detectar ameaças do mercado. Então, lembre-se de ser flexível e fazer as correções necessárias.

Acompanhe o andamento de seu planejamento através de indicadores

Para monitorar o negócio, defina indicadores de acordo com o objetivo da empresa. No que se refere a clientes, monitorar índices como churn rate (taxa de abandono) e o MRR (receita recorrente mensal) ajuda a identificar altos e baixos para investir em melhorias.

O CAC (Custo de Aquisição de Clientes) e o ROI (Retorno Sobre o Investimento) são outros indicadores interessantes para ficar de olho.

Quais são os 8Cs do planejamento estratégico?

Traduzido do inglês, os “eight organizational principles” são componentes importantes para garantir que o planejamento estratégico será aplicado com eficiência e agilidade.

Trata-se de uma metodologia ágil, assim como o SCRUM, pensada inicialmente para empresas do setor de tecnologia, mas que já pode ser replicada nas mais diversas áreas de atuação, como comercial ou marketing. Basta ter um projeto estratégico em mãos!

Em resumo, o principal benefício dos 8Cs do planejamento estratégico é a criação de processos mais eficientes e simplificados, além de entregas de maior qualidade.

Por isso, não se surpreenda se o seu planejamento estratégico incrível não consiga gerar resultados, caso a equipe não esteja engajada e vocês não contarem com bons líderes.

Fazer com que toda a empresa trabalhe em conjunto não é uma tarefa fácil. No entanto, é isso que fará com que um planejamento estratégico saia do papel e se transforme em valiosos diferenciais para o negócio!

Portanto, mãos à obra e trabalhar, para realizar boas vendas e obter muito sucesso!

O que não fazer durante o planejamento estratégico?

Já falamos aqui sobre os pontos de atenção e tudo que você deve fazer para montar o seu plano para 2023. Mas e o que você NÃO deve fazer no seu planejamento estratégico? Vamos apresentar os erros mais comuns cometidos pelos empreendedores.

Não realizar a análise SWOT

Não utilizar essa ferramenta faz com que o gestor gerencie a empresa às escuras. Afinal, mesmo que não seja possível controlar o mercado externo, tudo o que ocorre fora do negócio impacta o cenário interno.

Com a análise SWOT, é possível se precaver, enfrentando melhor as crises e extraindo oportunidades de mudanças.

Não definir responsáveis

Para cada ação, é preciso definir os responsáveis e quem poderá substituí-los em caso de imprevistos, eventualmente.

Isso é importante não só para organizar a lógica do trabalho em equipe, como também para identificar se está faltando time ou reforço em alguma área.

Deixar objetivos sem planos de ação

Nunca se deve parar na definição de objetivos. Eles são importantes para saber o que se quer, mas não vão se concretizar sozinhos.

Um dos maiores erros no planejamento estratégico é deixá-los “na linha de chegada”, sem uma forma de acesso.

Não monitorar o cumprimento das metas

Trabalhar sem metas e indicadores é um dos piores erros. Sem eles, você corre o risco de gastar tempo e dinheiro e não atingir os seus resultados.

Acompanhando o cumprimento das metas, é possível verificar se está tudo certo para prosseguir ou se é necessário ajustar algo na rota.

E então, está pronto para adotar o planejamento estratégico no seu negócio e chegar onde você sempre quis?

Acompanhamento e análise

Como última etapa do planejamento estratégico, defina uma periodicidade de reuniões para que as áreas da empresa possam se encontrar, apresentar e debater os resultados alcançados.

Normalmente, esse encontro acontece todas as semanas, assim, é possível falar sobre o que aconteceu na semana anterior e pensar nos próximos passos.

Além desse encontro, também é importante reunir os gestores sempre que possível para que os resultados sejam avaliados. Aqui, também se deve revisar e redefinir a análise SWOT, as metas e o plano de ação. Afinal, o mercado não é estático e é preciso adequar.